Assim como a pintura, a poesia?

giraud_flaubert.jpg (167944 bytes)

Flaubert me fita do retrato dependurado na parede, à frente da mesa em que escrevo. As pontas descaídas de seu espesso bigode mais parecem dois pincéis de pêlo de marta (não obstante Louise Collet se chamasse sua platônica amada). Na branca tela de meu inconsciente (tabula rasa?), movem-se os pincéis-pêlo-de-marta das pontas de seu bigode a grafar, em elegante cursivo, a seguinte mensagem:

alavras são tintas na paleta, à espera da pena, que semelha o pincel.

Com a mistura das tintas, que são as palavras, pode-se debuxar, de forma mais ou menos nítida, dependendo da arte e do engenho, qualquer coisa encontrável na Natureza, seja ela agradável ou repugnante à ética e/ou aos sentidos.

Com o recurso do substantivo, que é o traço mais ou menos vigoroso; com o concurso da cor, que é o adjetivo; com o discurso do verbo, que é o movimento ou ação que se insufla na imagem; com o sincopado das pinceladas, que é a pontuação, tudo se pode pintar, ao escrever ou descrever, transformando a poesia e a narração em pintura.

Ut pictura poesis, diziam os clássicos, Simônides à frente, Horácio em seguida, empós Antônio Ferreira, o literário auto-retrato português de Horácio. Queres mais exemplos pictórico-poéticos ou poético-pictóricos do velho símile “como a poesia, a pintura, como a pintura, a poesia”?

Vá a outros e mais antigos manuais de pintura caligráfica ou de caligrafia pictórica. Leia Francisco de Holanda, do século XVI. Ou Manuel (quase disse Manual) Pires de Almeida, cujo manuscrito intitulado “Poesia e Pintura ou Pintura e Poesia” mostrará que tantas são as semelhanças entre a Pintura e a Poesia, que à Pintura chamaram Simônides, Plutarco e outros, tomando-o de Platão, poesia muda, e à poesia, pintura que fala.

Ao cabo, glosas tão parafrásicas na semelhança, que os comentadores parece se auto-retratarem um no outro. Auto-retrato em outrem não é o teu problema? Pois durma com uma adivinha dessa. Boas noites.

 


 

P.S.: Ver a propósito das relações entre pintura e literatura:

Michelangelo: Capela Sistina, ut pictura poesis e a condição social do pintor na renascença,

Flavio Botton.