Lições de fisiognomonia

Já que de lições trataremos, comecemos pela primeira.

Fisiognomonia é a arte de conhecer o caráter das pessoas pelos traços fisionômicos.

Logo, todo pintor que se dedica ao retrato da vaidade própria ou alheia, para ser competente, deve ser um psicólogo que, nato, dispensa faculdade, diploma e consequente carteirinha de seu conselho regional.

Não gosto de retratos. Sobretudo aqueles posudos, a emoldurar realezas, nobrezas ou burguesias mecenáticas.

 Talvez por que, distraído ou péssimo fisionomista, não vejo na cara o coração de ninguém. Por isso preciso de guia para minha cegueira fisiognomônica.

bruegel_parabola_cegos.jpg (201834 bytes)

E esse meu guia, à Brueguel, é Velazquez, em cujos retratos (me ensinam os entendidos) está a fisionomia nua e crua de suas almas.

velazquez_felipe4.jpg (63640 bytes)     velazquez_inocencio10.jpg (142467 bytes)     velazquez_infanta_margarida.jpg (108129 bytes)

Cara a cara com os retratos, que me dizem vocês das almas expostas? Que leituras e interpretações fazem do olhar, das rugas, da pose, da boca sem lábios ou dos lábios gulosos de batom?

Eu prefiro o retrato do nanismo humano estampado em D.Sebastião de Morra e em Dom Diego de Acedo.

velazquez_sebastian_morra.jpg (101256 bytes)     velazquez_diego_acedo.jpg (90267 bytes)

Última lição: vejam lá como a nanica alma humana é bufona. Além de vaidosa, dando-se ares de solene importância.