OTTO DIX

Nascido em 02/dez./1891, Gera (AL), e falecido em 25/jul./1969, Singen (AL),

Otto Dix, autorretrato

iludido e ingênuo, na onda da propaganda futurista, crendo que a guerra era o advento de uma nova era, alistou-se voluntariamente, a exemplo de outros jovens, na Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Enfiou a carapuça guerreira, autorretratando-se como Marte,

Autorretrato como Marte, 1915

e sentiu na pele, à Goya, os horrores e desastres da guerra,

registrando a semeadura da Morte,

Skull

suas cicatrizes e mutilações,

Shell craters, 1917

,

Não percebera, então, que se tratava de mera cartada político-econômica.

The Skat players

No compasso da moda, a frivolidade da Metrópolis  apenas mascarava a indiferença de sua pobreza moral,

Big City, 1927-28

rosnando com desprezo para os derrotados.

Detalhe do Tríptico Big City

Autorretratou-se como prisioneiro. (Agrilhoado ainda à memória da repressão nazista?)


No tríptico The War, pintado de 1929 a 1932,

a percepção de que a guerra era o triunfo da Morte

─ brincadeira criminosa de uma aberração humana cuja natureza psicopata vinha do berço.

Os sete pecados capitais, 1933

Degenerada a arte expressionista de Otto Dix ou expressão da degenerescência esse anão moral chamado Hitler?